Blog

Caçando tendências

Caçando tendências

Caçando tendências na área da comunicação e do marketing

Muito se fala sobre tendência hoje em dia – eu mesma já escrevi alguns textos mostrando tendências na área da comunicação e do marketing. Entretanto, vejo que pouco se explora a respeito do significado das tendências, de como identificá-las e transformá-las em insights que ajudam as empresas a prosperarem. Esse é o nosso tema de hoje! 🙂

Em teoria, tendências são conjuntos de fatores, de várias esferas (social, econômica, política, cultural etc), que juntos tendem a desencadear um conjunto de comportamentos, de massa ou não. Temos tendências que permanecem em pequenos nichos e outras que se espalham para grandes grupos. Há tendências que envolvem uma conjuntura macro, tendências motivadas por acontecimentos inesperados ou tendências voláteis, que passam rapidamente. Todas são válidas e tudo isso acontece ao mesmo tempo!

Apontar tendências passa longe de adivinhar o futuro. Não tem nada de achismo! É olhar o presente e pensar sobre os desdobramentos e possibilidades a respeito daquilo que está acontecendo agora. Observar tendências é, sobretudo, um ato de atenção e de projeção.

E como se estudam as tendências?

Para estudar tendências é preciso um conjunto de técnicas de pesquisa, além de muita sensibilidade e empatia. Esse campo de atuação profissional é conhecido como Cool Hunting. Esses profissionais identificam e analisam determinadas mudanças antes que elas aconteçam.

As práticas de Cool Hunting são muito utilizadas no mundo da moda, mas podem servir para qualquer área – qualquer área mesmo! -, pois o objetivo do cool hunter, o profissional capacitado para caçar tendências, é transformar a cultura em mercado.

Há diversas grandes agências espalhadas pelo mundo cujo foco é encontrar e analisar tendências, fornecendo informações sobre comportamento e consumo para diversas empresas. Alguns exemplos: Trend Watching, Promostyl, WGSN, Future Concept Lab, entre outras.

E como isso ocorre?

O cool hunter irá selecionar determinado grupo, sociedade ou ação e tornará-se um insider dessa cultura. Isso porque o pesquisador de tendências precisa entender o contexto do grupo em foco e fugir dos pré-julgamentos para conseguir elaborar os valiosos insights mercadológicos.

Além dessa pesquisa de campo, são também feitas pesquisas teóricas e levantamentos de informações sobre o tema em foco na investigação.

Um exemplo de como funciona sempre ajuda: uma determinada empresa de bebida quer entender melhor quais são as tendências em sua área de atuação dentre o público jovem, seu alvo de mercado. O cool hunter irá adentrar nessa comunidade específica procurando entender como os jovens bebem vinho, cerveja ou drinks. Quais são as marcas favoritas deles? Que músicas eles ouvem? Em que ocasião eles bebem? E por aí vai.

Entendendo essas tendências de comportamento, esse pesquisador buscará compreender de que forma tais comportamentos se inserem e se interligam com outras questões próprias do nosso tempo, com o nosso clima intelectual e cultural. Feito esse cruzamento, o profissional estará preparado para elaborar as projeções de consumo.

E por que compreender essas tendências ajuda as empresas?

Compreender quais são as tendências de comportamento atuais que podem influenciar direta ou, indiretamente, o mercado em que sua empresa atua permitirá que você consiga gerar insights de consumo. Ou seja, entender a fundo o que motiva a compra de determinado produto ou serviço e quais valores e crenças do consumidor estão ligados a esse momento.

Esses insights podem ajudar a empresa a desenvolver um novo posicionamento, inovar, entrar em outros mercados, desenvolver novos produtos e serviços (ou aprimorar os já existentes), medir a performance de produtos e serviços ou – e é aqui que a BVALLE entra – otimizar estratégias de marketing.

Buscar entender o comportamento do consumidor – sua vida afetiva, seu trabalho, seus hábitos, seus anseios, sonhos, crenças e valores – é um passo importante se sua marca deseja criar uma ponte para o coração do cliente.

Por isso, mesmo não sendo um profissional caçador de tendências, esteja atento ao comportamento do consumidor e aos motivos que o levam a escolher uma marca “x” ao invés da “y”. Só a partir desse olhar atento já é possível extrair uma série de informações valiosas para o sucesso do seu negócio.

Olho vivo e faro fino! Essa é regra.

 

Beatriz Valle é gestora na BValle e escreve sobre o mundo da comunicação e do marketing sem muito mimimi.

Compartilhe