Pular para o conteúdo principal Pular para busca

Arquivos para junho 2017

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar a sua empresa

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa

Nos últimos tempos, estamos ouvindo falar muito de um tal Inbound Marketing. Mas, afinal, o que é isso? Para que serve? Como pode ajudar a sua empresa a conquistar novos clientes? Acalmem o coração que hoje vamos destrinchar esse assunto.

O conceito vem dos Estados Unidos e começou a se popularizar após o lançamento do livro “Inbound Marketing: seja encontrado usando o Google, a mídia social e os blogs”, de Brian Halligan e Dharmesh Shah, em 2009. Os empresários são os fundadores da Hubspot e defenderam a ideia de que as marcas deveriam parar de ir atrás dos clientes. Ao invés disso, ser encontradas por eles.

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa

 

O Inbound Marketing é uma estratégia de marketing digital que funciona através do conteúdo. A ideia é atrair os visitantes ao seu site sem recorrer a propagandas chatas ou invasivas. E como se atrai os visitantes? Simples! Oferecendo a eles algo útil e interessante. A base do Inbound Marketing é investir em conteúdo de qualidade. Vale apostar em blogs, e-books, sites, enfim, locais na web em que a sua empresa pode entregar informações valiosas para o seu cliente. Depois, vem o pulo do gato: em troca do conteúdo, você pede a ele algumas informações básicas e de contato. Assim, vai conseguir estabelecer um relacionamento.

 

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa

 

Além de atrair os clientes e da possibilidade de relacionamento com eles, há outras vantagens dessa estratégia: tornar sua marca referência na área, educar os seus clientes sobre o segmento da marca e melhorar o posicionamento da empresa no Google. O mais legal em todas essas ações é a capacidade de mensurar os dados. É possível saber quantas pessoas viram o conteúdo, clicaram ou compraram em cada campanha lançada por meio de ferramentas de webanalytics. Com tudo isso em mãos, dá para acompanhar e melhorar o ROI (retorno sobre investimento).

 

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa

 

Como funciona o Inbound Marketing

Para que toda essa máquina funcione direitinho, é preciso seguir alguns passos simples ao longo do processo. Por isso, a estratégia de Inbound segue este percurso:

  •  Atrair
  • Converter
  • Relacionar
  • Vender
  • Analisar

 

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa Funil de Vendas

Funil de vendas. Fonte: Vucom

 

Atrair – A ideia desta etapa é construir um material interessante para a sua empresa na web. É essencial investir em um site responsivo, com possibilidades de conversão, e construir um blog com conteúdo interessante para seu público-alvo. Também é importante prestar atenção no SEO do blog e apostar em ferramentas para que todo o seu material seja otimizado para as buscas certas no Google.

Dessa forma, o público interessado no assunto vai chegar ao seu blog.

Converter – Essa etapa é essencial! A conversão diz respeito ao seu visitante enviar a você algumas informações ou dados em troca de conteúdos ou benefícios. Sua marca pode fazer isso por meio de ofertas (ex: deixe seu e-mail e receba 10% off na primeira compra), de landing pages ou ainda na troca de acesso a um webinar (palestra online), por exemplo.

 

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa

 

A Renner utiliza desconto em troca de informações dos clientes

Relacionar – Depois de atrair o cliente e conseguir um canal de comunicação, é preciso manter o contato com o lead. Isso é importante, já que cada cliente tem seu tempo para fazer a compra e isso nem sempre acontece no início do processo. Esse contato é feito, geralmente, por e-mail marketing, e-mails promocionais ou newsletters. A ideia é continuar alimentando o seu possível cliente com conteúdos e oferecer a ele gatilhos para compra, como ofertas relâmpago, por exemplo.

 

O que é Inbound Marketing e como pode ajudar sua empresa Meliuz

Campanha do Méliuz para venda

 

Vender – Pois bem, essa é a etapa de ouro da empresa, já que todo o trabalho desenvolvido até aqui foi feito para que a equipe de vendas tenha mais leads qualificados para trabalhar. Aqui, é importante ter um time de vendas alinhado, que consiga aproveitar todo o potencial dos clientes e da solução ou produto que está vendendo.

Analisar – A última etapa é fazer a análise de todo o processo, entender quais campanhas e ações foram mais assertivas, corrigir erros e potencializar o que deu certo. Mesmo após a venda, essa etapa é essencial, para entender onde o processo precisa melhorar. Um hábito muito bom é estabelecer metas a serem alcançadas.

 Como sua empresa pode se beneficiar do Inbound Marketing?

Como vimos, o Inbound Marketing é um conjunto de estratégias que gera muitos benefícios para uma empresa. Ela consegue ganhar visibilidade no mercado, atrair pessoas que estão interessadas no assunto e manter relacionamento com possíveis clientes. Tudo isso impulsiona o trabalho da equipe de vendas e, mesmo após a venda do produto ou serviço, ainda é possível manter o relacionamento com esses clientes e oferecer novas soluções para aumentar o ticket médio do comprador.

O Inbound Marketing é mais barato, amigável e efetivo do que o marketing tradicional. Além disso, tem alto índice de monitoramento, permitindo seu aperfeiçoamento.

 Como implantar o Inbound Marketing na minha empresa

Hoje, há vários sistemas que oferecem todas as ferramentas para estratégias de Inbound Marketing. No Brasil, o maior deles é a plataforma RD Station, da Resultados Digitais. A plataforma é ligada à agências parceiras, que fazem toda a produção de conteúdo, gerenciamento dos processos e acompanhamento dos leads.

A BVALLE, com muito orgulho, é uma empresa parceira da RD em Porto Alegre e oferece todo o pacote de Inbound para os clientes. Entre em contato conosco para conversarmos. Vamos colocar essa máquina de vendas a serviço do seu negócio!

Beatriz Valle é gestora da BValle e fica de olho em opções bacanas para gerar mais resultados aos clientes.

Leia mais

Vó, quer comprar? Como vender para sua avó na internet

Vó, quer comprar? Como vender para sua avó na internet

É preciso encarar o fato: seus pais e avós também são potenciais consumidores online. Apesar de boa parte do marketing digital não ser voltado para a terceira idade, o público maduro está aderindo ao online a taxas aceleradíssimas. O número de consumidores nessa faixa cresce vertiginosamente. De acordo com um estudo do IBGE, em 40 anos a população idosa vai triplicar no Brasil e passará de 19,6 milhões (10% da população brasileira), em 2010, para 66,5 milhões de pessoas, em 2050 (29,3%).

Uma pesquisa do Instituto Locomotiva mostrou que, enquanto o índice de brasileiros conectados na internet cresceu mais de 100% nos últimos oito anos, os internautas da terceira idade tiveram um aumento de 940%. E não é só de sites de crochê e tricot que vivem os mais maduros na web. A terceira idade movimenta a economia online.

De acordo com a Ebit, empresa especializada em comércio eletrônico, o consumidor mais experiente movimenta R$ 15,6 bi em compras online. O ticket médio de consumidores com mais de 50 anos nas lojas online é de R$ 411, sendo que o ticket médio da média de todas as idades é de R$ 388. E a tendência é que os idosos sejam ainda mais importantes para as vendas online. Se somarmos a renda da terceira idade brasileira, temos cerca de R$ 330 bilhões.

 

pais avós vó terceira idade idosos compras internet

 

Sim, eles estão ingressando em massa nas redes sociais. Em 2014 os idosos já eram o público que mais crescia no Facebook. Hoje, 83% das pessoas com mais de 60 anos que possuem perfil na rede social acessam a plataforma diariamente, dado da SêniorLab. Além disso, 64% deles afirma ter um smartphone e 25,3% dos sexagenários estão no Instagram.

O que os vovôs procuram na internet

De acordo com a Ebit, os principais interesses da terceira idade na internet, quando o assunto é compras, são:

  • Perfumaria
  • Saúde
  • Eletrodomésticos
  • Casa
  • Decoração
  • Moda
  • Acessórios
  • Telefonia celular

Como fazer marketing para a terceira idade

Fica claro que a maioria esmagadora das campanhas de marketing esquece dos idosos. Ainda é uma tendência, então as empresas estão aprendendo como se comunicar com esse público.

Um bom exemplo de marketing voltado à terceira idade é a campanha do Itaú, que traz duas simpáticas senhorinhas, perfeitamente capazes de acessar o internet banking e marcar encontros com as amigas online.

 

Abaixo, algumas dicas para se comunicar com esse público:

Foco na maturidade

Bom, a primeira dica para ser assertivo com a terceira idade é considerá-los como público-alvo. Vale incluir a terceira idade como persona da marca, se pertinente, claro. Represente também os mais maduros no seu design e nas suas artes.

Mensagens claras

Para atingir o público mais velho é preciso que o material de divulgação seja de fácil e rápida compreensão. Certifique-se de que a mensagem seja clara e direta.

Seja acessível

Não adianta realizar uma campanha de marketing focada na terceira idade se seu site não é amigável ou não possui boa usabilidade. Tenha informações claras e oriente sua equipe de vendas, suporte e atendimento a serem disponíveis e amigáveis. O ritmo de compra de um senhor de 65 anos pode não ser tão dinâmico quanto o de um rapazote de 23.

Seja confiável

Assim como outros consumidores, os idosos não vão comprar de uma empresa que eles não confiam. Por isso, invista em ações que aumentem a credibilidade da sua marca, como assessoria de imprensa, divulgação de depoimentos de clientes e certifique o cliente da segurança da sua empresa na hora da compra.

Escute e valorize

O público da terceira idade adora ser ouvido. Por isso, incentive os comentários, escute e valorize suas histórias.

Foque na experiência do consumidor

A jornada do consumidor não termina no momento da compra. É preciso se certificar de que o serviço prestado e de que a experiência com o produto sejam positivas e confortáveis. Invista em atendimentos personalizados e em pós-venda.

Não generalize

Os idosos são pessoas, com suas especificidades, gostos e preferências, que envelheceram. Não generalize o público. Você não vai conseguir falar com toda a terceira idade usando a mesma linguagem.

 

pais avós vó terceira idade idosos compras internet

 

Uma alternativa legal na hora de investir em campanhas de marketing para esse público é contar com segmentação. O Facebook, por exemplo, possui uma ampla possibilidade de segmentar o público atingido por um anúncio. Pesquise também sites de interesse do público idoso. Vale investir, por exemplo, em blogueiros maduros. Um exemplo é a influencer Miréia Borges, de Porto Alegre.

Para o público na terceira idade é bacana aliar estratégias de marketing online com marketing tradicional. Vale investir também em propagandas de televisão ou em anúncios em jornal.

Por fim, não se esqueça de conversar com os idosos ao seu redor. Você não vai conseguir vender para sua avó se não conhecê-la bem. 😉

 

Beatriz Valle é gestora da BVALLE e tem uma mãe setentona que adora uma compra parcelada.

Leia mais

Perca o medo de fazer vídeos

Perca o medo de fazer vídeos

O aumento da relevância dos vídeos nas campanhas de marketing apareciam como tendência há algum tempo. Hoje esse é o nosso presente!

Em 2015, Mark Zuckerberg anunciou que o Facebook gerava 8 bilhões de visualização de vídeo por dia. O Snapchat, uma rede social nativa de vídeos (com 15x menos usuários que o Facebook), gerava mais de 7 bilhões de visualizações por dia. Carinha de espanto!

E por que o vídeo é tão consumido? Porque é fácil!

Basta pegar o celular, assistir a alguns minutos de conteúdo e sair com mais informações na cabeça. De acordo com o Youtube, o consumo de vídeos no mobile cresce 100% a cada ano. E isso já se mostra no comportamento das pessoas. De acordo com a Agência Invodo, 92% dos consumidores compartilha vídeo com outras pessoas. E 59% dos executivos preferem ver um vídeo a ler um texto, segundo a Forbes.

Esse comportamento é muito importante para as campanhas de marketing. Quem consegue entender o seu público e fazer vídeos que falem o que os consumidores querem ouvir colhe grandes resultados. Quer alguns exemplos? Em uma página de landing page, incluir um vídeo pode aumentar a conversão em até 80%. Em um e-mail, o vídeo aumenta de 200% a 300% as taxas de cliques.

Mas como fazer vídeos para o meu público-alvo?

Bom, não tem receita de bolo. Cada empresa precisa pensar no que funciona para o seu público. Ainda assim, vale seguir alguns passos. O Web Vídeo Marketing Blog estabelece 6 dicas bem legais para pensar o conteúdo dos vídeos para sua empresa. Eu dei os meus pitacos e trouxe para vocês:

Passo 1: entender o serviço ou produto que você oferece, e conhecer bem o seu público-alvo. Isso é essencial para saber quem está ouvindo você, como ele consome vídeos e o que ele está procurando.

Passo 2: decida temas e tópicos. Aqui você deve escrever o que você quer falar e depois produzir isso da maneira mais atrativa que conseguir, tanto na linguagem como no formato. As pessoas precisam ficar interessadas, instigadas pelo seu conteúdo. Você precisa merecer o play.

Sabia que os conteúdos mais populares de vídeo são: comédia (39%), notícias (33%) e música (31%)? Será que isso funciona para o seu público?

Passo 3: crie o conteúdo e publique. Publique e divulgue bastante o seu conteúdo! Não tenha vergonha e certifique-se de que o vídeo está fácil de acessar/compartilhar.

Aliás, publicar vídeos diretamente no Facebook gera muito mais engajamento do que aqueles embedados de sites como o Youtube. Isso vale se você busca aumentar o engajamento da fanpage. Mas o Youtube é ótimo se você busca posicionamento, pois o conteúdo fica armazenado lá e pode ser acessado através dos buscadores do Google sempre que alguém pesquisar a palavra-chave. O conteúdo, portanto, vai continuar gerando views infinitamente. No Facebook isso não acontece, é impossível achar os vídeos na opção de busca…

Passo 4: atualize o seu canal no Youtube com certa frequência. Começar um projeto e não continuar pode ser um tiro no pé. Outra coisa legal é a cada 3 ou 6 meses atualizar seus vídeos antigos. Vale editar ou acrescentar novos efeitos.

Passo 5: empenhe-se em converter seus espectadores em consumidores. Essa parte é difícil mas é importante! Vale usar call to action, coletar e-mails dos espectadores e enviar newsletters e usar outras estratégias de marketing.

Você precisa mostrar aos seus espectadores que sabe do que está falando. Se for sincero e o seu produto ou serviço for de qualidade, muita gente vai querer comprá-lo ou contratar o serviço que está oferecendo.

Passo 6: avalie, mensure, atualize e avalie novamente. Uma estratégia de vídeo não é estática. Precisa estar sempre em movimento para entender qual é o caminho certo para seguir adiante.

E fique atento. Para criar engajamento com os espectadores você não precisa de grandes produções. Vídeos feitos com celular, editados de maneira clara e com um conteúdo verdadeiro também agradam o público. O importante é que você conte a sua história de forma sincera e autêntica! Siga os valores da sua marca.

Se você vende um produto, por exemplo, um canivete suíço. Que tal fazer uma série de vídeos com o seu celular mostrando como ele pode ser útil? Pode ser uma boa maneira de começar o negócio.

Gostaram? Bem que esse texto poderia ter sido gravado, heim?! Façam seus comentários! Vamos adorar aprender com a experiência de vocês! <3

 

Beatriz Valle é gestora da BValle e fica de olho em opções bacanas para gerar mais resultados aos clientes.

Leia mais

Vamos falar sobre o Google?

Search Engine Marketing (SEM): Links Patrocinados e SEO

 

Nesse mês resolvi falar um pouco sobre Search Engine Marketing.

Que diabos é isso, Beatriz?

Calma que eu traduzo: Search Engine Marketing  nada mais é do que o marketing feito e pensado com base nas ferramentas de busca como o Google, Bing e Yahoo. O SEM, como também é chamado, engloba, principalmente, duas atividades: links patrocinados e SEO (Search Engine Optimization). Antes de explicar o que significa cada uma delas e para que servem, vou contextualizar um pouco a importância que as ferramentas de busca têm na nossa vida hoje.

Quem aí consegue viver sem o Google?

São raros os que vão responder que sim, certo? Isso porque a busca faz parte da nossa rotina diária e permeia vários momentos da comunicação. Quando queremos saber como fazer algo? Google! Quando queremos saber o preço de algum produto? Google! Quando queremos conhecer mais de uma marca? Google!

Quase tudo hoje envolve esse universo da busca. E olha só que dados interessantes do Google e PewResearch:

– 80 a 90% das pessoas usam a busca, o que significa alta penetração no mercado;

– 51% dos consumidores fazem uma busca após serem impactados por um anúncio de televisão;

– 73% das pessoas confiam nas informações encontradas a busca.

O que isso quer dizer em termos de marketing? Que se a sua marca não está no Google e as marcas dos seus concorrentes estão, você tem um problema sério ou, no mínimo, está desperdiçando uma baita oportunidade de estar onde as maiorias das pessoas estão.

Uma maneira de resolver isso é conhecendo os mecanismos que envolvem a presença das marcas no ambiente dos buscadores. Vou me basear no funcionamento do Google, pois é ele quem domina o mercado nessa área. Vamos comigo?

Links Patrocinados

Segundo o IAB Brasil, os links patrocinados são “um sistema no qual os anunciantes pagam para estarem presente nas páginas de resultado dos sites de busca, através de anúncios de textos que são ativados a partir de uma palavra-chave selecionada”. Traduzindo em imagens, os links patrocinados seriam isso aqui:

Search Engine Marketing Links Patrocinados SEO

 

Os links patrocinados ajudam a empresa em vários aspectos. Através deles é possível obter um tráfego maior para o site, melhorar performance de venda no caso de um e-commerce ou gerar visibilidade para a empresa.

As campanhas de links patrocinados são complexas, mas você pode tentar aprender sozinho. Não é impossível. O recomendável, se você não domina a ferramenta, é contratar uma agência especializada com referências e cases de sucesso.

Não ensinarei a fazer uma campanha de links patrocinados aqui, mas acho importante ressaltar alguns aspectos importantes sobre eles:

Seu custo é variável e depende do valor que o anunciante estabelece por clique. Cada clique que uma pessoa fizer no anúncio, vai gerar um custo “x”, mesmo que essa pessoa não compre no site.

O retorno é alto, mas será proporcional ao investimento e ao custo por clique médio. Se a sua empresa não for uma marca super mega power, melhor começar investindo em outra opção de marketing primeiro (SEO, por exemplo).

Os links patrocinados são uma mídia extremamente democrática, pois o investimento inicial pode ser mínimo. Mas, como já disse, o retorno será proporcional.

O custo por aquisição de cliente costuma ser baixo.

Dica: se você quer saber mais sobre o tema, o Google – através do Google Adwords, que é o lugar onde você cria as campanhas de links patrocinados – disponibiliza muito material sobre o assunto. Também há diversas certificações aplicadas pelo Google para quem deseja trabalhar na área. Agências sérias exigem certificações anuais dos seus funcionários.

SEO: Search Engine Optimization

 

Search Engine Marketing Links Patrocinados SEO

 

Pois bem, vocês já conhecem a ferramenta paga que o Google disponibiliza para as marcas aparecem em suas redes de pesquisa. Mas há maneiras de ficar na primeira página do buscador – essa deve ser sua meta – sem ter que pagar muito para isso. Como fazer? Através do SEO – Search Engine Optimization.

Segundo Gustavo Bacchin, sócio-fundador e COO da Agência Cadastra, há mais de 16 anos no mercado digital, SEO “é um conjunto de melhores práticas e estratégias que tem como objetivo otimizar a presença, a visibilidade e experiência de uma marca (plataforma e conteúdos digitais) nos resultados orgânicos de busca”.

Através de melhorias no seu site, no seu conteúdo, na experiência que o usuário tem e na sua reputação na rede é possível chegar ao topo do Google. Obviamente que, se comparado aos links patrocinados, o SEO é um trabalho com resultados a longo prazo. Alguns aspectos importantes:

– Os custos costumam ser fixos, pois o investimento é em pessoal e/ou agências que façam esse trabalho;

– O potencial de retorno é muito alto, pois não há custo por clique;

– Geralmente o investimento mínimo é para contratar uma equipe ou consultoria na área;

– Custo por aquisição de clientes costuma ser alto no início e baixo a longo prazo, geralmente superando qualquer outra fonte de tráfego e mídia.

A regra aqui é pensar, a todo o momento, o que é bom para o usuário, pois também será bom para o Google. O buscador tem como prioridade número um a experiência das pessoas em sua ferramenta. Portanto, nada de site que demore para carregar, repleto de spam, domínio de difícil entendimento, servidor que vive caindo e deixando o site fora do ar, urls não amigáveis, imagens de resolução altíssima, conteúdo ruim, site que não roda no mobile, entre tantas outras coisas. É preciso cuidar de tudo isso para ter um desempenho bacana no Google.

***

Munido dessas informações você já pode começar a planejar a presença da sua marca na rede de pesquisa. A importância é inegável e os benefícios dependerão da qualidade do trabalho nessa área. Bora começar?

Espero que tenham gostado do texto! Dúvidas, sugestões e feedbacks, fiquem à vontade!

Leia mais

Landing page: o que é e como usar no marketing da sua empresa

Landing page o que é e como usar no marketing da sua empresa

Vamos dar atenção a mais um assunto super pertinente para o pessoal de comunicação e marketing: landing pages.

Quem não sabe do que eu estou falando, já deve estar levantando as sobrancelhas… Calma, eu explico tudinho!

Landing pages são páginas, separadas do site principal ou não, focadas em conversão. Elas trazem formulários, onde os visitantes incluem seus dados, em troca de algum conteúdo, brinde ou informação. Esses visitantes viram, então, leads, ou seja,clientes em potencial.

É comum vermos sites usando landing pages para oferecer e-books, vídeos ou planilhas.

A landing page da Endeavor, por exemplo, pede informações do visitante em troca do ebook “Gestão por Resultados”:

 

Landing page o que é e como usar no marketing da sua empresa Endeavor

 

Já a landing page do site Fórmula de Passagens pede apenas o e-mail do visitante em troca de informações e vídeos sobre como comprar passagens aéreas mais baratas:

 

Landing page o que é e como usar no marketing da sua empresa Fórmula de Passagens

 

Além dessa função inicial, de aumentar a base de potenciais clientes, as landing pagestambém podem ser utilizadas para nutrir leads, para direcionar contatos já coletados para o funil de vendas, levando ao fechamento do negócio.

Uma landing page pode estar dentro de um website mas, diferente de um site institucional, ela existe para cumprir um único objetivo, seja ele captar o e-mail do visitante ou conhecer melhor o potencial cliente. Por isso, a página apresenta poucas informações.

Claro que a landing page não é uma ação isolada. Ela faz parte de uma estratégia de marketing completa. Se bem usada, essa ferramenta pode ajudar você a conhecer melhor o seu público, gerar mais leads e reduzir seu custo de aquisição por cliente (CAC).

Como criar uma landing page

Você tem duas opções para criar uma landing page:

  • Desenvolver, dentro do site da sua empresa, uma página específica para essa função;
  • Criar uma landing page separada do site, que pode ser temporária ou não.

Uma landing page é uma página na internet. Se a sua empresa contar com um programador ou desenvolvedor, ele vai saber fazer isso sem problemas. Agora, se sua empresa não conta com um profissional de TI, você mesmo pode criar a sua. Não é um bicho de sete cabeças! Existem vários sites que fazem todo o trabalho pesado.

Abaixo, algumas indicações:

http://www.klickpages.com.br/ – site intuitivo e completo para criação de páginas. Custa R$1 no primeiro mês e R$197 nos meses seguintes.

https://www.launchrock.com/ – site gratuito para criação de páginas de lançamento, mas que também pode ser usado para construção de landing pages.

http://landingi.com.br/ – outro site completo para construção e monitoramento de landing pages. Para até 1000 leads, custa $29 por mês.

 

Landing page o que é e como usar no marketing da sua empresa

 

Como fazer sua landing page ser mais efetiva

Há, claro, algumas estratégias para que uma landing page seja mais efetiva.

1 – Seja honesto e ofereça conteúdo de qualidade

Uma das lições mais importantes é nunca tentar enganar o seu visitante. Você precisa ser honesto com ele e oferecer algo de qualidade em troca da informação que está pedindo. Se você oferecer um e-book ruim em troca de um formulário respondido, o visitante vai perder a confiança na sua empresa.

2 – Menos é mais

Quanto menos distrações você tiver na sua landing page, melhor. Evite imagens muito complexas ou botões que vão levar o visitante para fora da página. Foque no seu objetivo final.

3 – Pense o CTA com muito carinho

Um dos elementos principais da landing page é o CTA, o Call To Action. É o botão que vai convidar o seu visitante para ação. O CTA precisa chamar a atenção e estar muito visível para o visitante. Faça vários testes.

4 – Pense bem no que você vai perguntar para o seu visitante

Você construiu a landing page porque está atrás de uma informação. Pense bem nas informações que você vai pedir. O seu visitante não vai responder a um formulário gigantesco. Você precisa aproveitar bem a chance que está tendo. Por isso, escolha as perguntas com sabedoria.

5 – Pense de maneira responsiva

Na hora de montar a sua landing page, não esqueça que grande parte dos acessos virá do mobile. Se você fizer uma página linda, mas que não funciona bem no celular, o trabalho será perdido.

 

Entendido? Espero que essas dicas sejam eficazes na campanha de marketing da empresa de cada um!

 

Beatriz Valle é gestora da BValle e fica de olho em opções bacanas para gerar mais resultados aos clientes.

Leia mais